Connect with us

Política

Prefeitura de Cruzeiro do Sul lança editais

para incentivo à cultura e ao esporte

Published

on

Foto: Cedida/Assessoria

Um show com artistas locais marcou a abertura da edição de 2022 do período para a inscrição dos projetos das Leis Municipais de Incentivo à Cultura e ao esporte em Cruzeiro do Sul. O município vai destinar R$ 300 mil para aplicar em atividades esportivas e culturais propostas pela comunidade.

Os projetos podem ser apresentados por pessoas físicas ou por entidades que trabalham com esporte e cultura. O valor para financiar cada projeto foi ampliado. Os valores podem ser de R$ 3.500 a 10.000 mil reais dependendo se forem pessoa Física ou Jurídica, Categoria A ou B.

O prefeito em exercício, Henrique Afonso, que participou da solenidade de lançamento dos editais, disse que o município está democratizando os recursos para o incentivo às práticas esportivas e culturais.

“A aplicação dessas leis é uma política pública que se consolidou ao longo desses últimos anos. Isso faz com que a gente democratize mais a organização e o fomento a cultura e ao esporte. Estamos dando mais oportunidades para aqueles que promovem e que praticam esporte e cultura”, ressaltou Henrique.

O vereador Márcio da Farinha prestigiou a solenidade e elogiou a prefeitura pela aplicação dos recursos nos dois setores.

“Isso é muito bom para nossos jovens. Hoje a gente vê um crescimento na área da cultura e do esporte. Quero reconhecer a importância dessa ação da prefeitura e dizer que me orgulho de poder contribuir para que isso possa está sendo realizado”, disse o vereador.

A produtora cultura, Maria José Freitas, afirmou estar feliz por poder apresentar projetos para que sejam avaliados pelo comissão que vai definir as atividades que deverão ser financiadas pelo município.

“Hoje é um momento de muita alegria para os artistas de Cruzeiro do Sul. Eu, como artista e produtora cultural, há 20 anos engajada nessa luta com a Companhia de Dança Nativa Triplo X, recebo isso com muita satisfação. Os recursos aumentaram e, tenho certeza, que os artistas estão satisfeitos com os valores. Teremos muitas produções”, garantiu Maria.

Política

Escola de Música do Acre

Published

on

Foto: Mardilson Gomes/SEE

A Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE), por meio da Escola de Música do Acre (Emac), publicou na manhã desta sexta-feira, 13, no Diário Oficial, o processo seletivo para o ingresso de alunos em vagas e cadastro de reserva para cursos de formação inicial, por meio de sorteio público.

As inscrições ocorrem até o dia  18, por meio do link https://forms.gle/EaBKATnoLRPE6BMj8, para os alunos da rede pública, e https://forms.gle/7NrcXrsKF2yUuhkn6  para a comunidade, ou diretamente na Emac, localizada na Avenida Central, 92, Conjunto Tucumã II, Bairro Distrito Industrial.

Entre os cursos ofertados pela Escola de Música estão técnica vocal, musicalização infantil, violão, guitarra, cavaco, ukulelê, contrabaixo, percussão (pandeiro, conga, triângulo e outros) e sopro (flauta, saxofone, clarinete e outros).

Esses cursos são gratuitos e desenvolvidos para ampliar o acesso dos acreanos à cultura. Buscam ainda inserir o aluno no processo de formação musical e, assim, provocar transformações sociais por meio da arte, além da descoberta de talentos e da profissionalização.

O público-alvo são estudantes matriculados na rede pública de ensino básico em 2022, com idade a partir de 6 anos.

O sorteio das vagas ocorrerá dia 23, às 9h no auditório da Escola de Música com transmissão em live pelo Instagram da escola: instagram@escolademusicaac.

O ano letivo se inicia dia 13 de junho e as aulas acontecerão uma vez por semana. Foto: Mardilson Gomes/SEE

O ano letivo se inicia no dia 13 de junho e as aulas serão realizadas uma vez por semana, de forma presencial, nos turnos matutino e vespertino.

“Por meio da Emac vamos possibilitar às pessoas conhecer mais sobre os conceitos de musicologia, as necessidades que se tem de pesquisar a música acreana, seus compositores e as características específicas da nossa qualidade de música”, declarou o maestro Afonso Portela, coordenador-geral da Emac.

Após dois anos sem promover os cursos, a escola retoma suas atividades, atendendo uma grande demanda de alunos, e se prepara para formar grupos de extensão com músicos instrumentistas e cantores acreanos.

Ainda segundo o maestro, a ideia é que futuramente a escola se torne uma extensão a nível técnico e superior em música: “É um pontapé inicial que estamos dando para incentivar e estimular tanto a educação musical quanto a formalização e a produção musical no estado”.

A Escola de Música tem por objetivo formar cidadãos qualificados, tanto no sentido musical como no quesito formação de plateia, sensibilidade artística e social.

Edital nº 1, dos alunos

Edital nº 2, da comunidade

Clícia Araújo / Assessoria – Agência de Notícias do Acre

Continue Reading

Política

R$ 3 milhões para projetos culturais e esportivos

Published

on

R$ 3 milhões. Esse é o valor que a prefeitura de Rio Branco vai repassar aos fazedores de cultura e esporte em 2022 para apoiar seus projetos. O financiamento acontece por meio do Fundo Municipal de Cultura da Fundação Garibaldi Brasil (FGB).

Os editais foram lançados pelo prefeito Tião Bocalom na manhã desta segunda-feira (2), na Escola de Música. O valor é destinado a projetos de arte, patrimônio cultural, povos originários e esporte e lazer.

As inscrições começam nesta sexta-feira, 6, e devem ser feitas presencialmente, na sede da FGB. Os editais podem ser acessados no site da prefeitura. Propostas de esporte e lazer, que contarão com um aporte de R$ 1 milhão, podem ser submetidas a partir desta segunda-feira. Os prazos vão até o início de junho.

Ao todo, poderão ser aprovados 240 projetos culturais e esportivos. O prefeito Tião Bocalom, que há poucos dias concedeu reajuste salarial inédito aos servidores da prefeitura, novamente faz história ao elevar o valor do Fundo de Cultura de R$ 400 mil para R$ 3 milhões.

“Fico feliz, como prefeito, poder olhar isso com carinho e colocar dinheiro. Precisamos ir para a prática, e a prática significa colocar dinheiro. Isso mostra nosso compromisso com quem faz a alegria da população. Tenho certeza que vamos ajudar muitos jovens a sair e a não entrar para o mundo do crime e vir para o bom mundo, que é o do esporte e o da cultura”.

O diretor-presidente da FGB, Pedro Aragão, celebra a sensibilidade do prefeito com a classe artística e esportiva. “Ele entende a relevância da arte e do esporte para as pessoas. Quem ganha com isso é a população”.

O artista Luís Eduardo Ferreira destaca o caráter descentralizador dos editais. “Gera um movimento de acesso à possibilidade do fazer artístico nos mais distantes e distintos espaços”.

O lançamento dos editais contou com a participação de representantes do movimento cultural e também dos vereadores Fábio Araújo, que preside a Comissão de Cultura do parlamento municipal, Ismael Machado, Lene Petecão e Raimundo Castro.

Para Araújo, a aprovação pela Câmara da proposta de aumento do recurso mostra o comprometimento dos vereadores com os fazedores de cultura. “São eles estão na ponta, cuidando da nossa sociedade, principalmente dos mais carentes, que precisam desse incentivo”.

Assessoria

Continue Reading

MEIO AMBIENTE

Sebastião Salgado vem ao Brasil para debates com indígenas

Published

on

Fotos: Cedida

(Folhapress)

O Sesc Pompeia inaugura na próxima terça (19) um ciclo de debates com Sebastião Salgado, lideranças indígenas e especialistas em questões dos povos indígenas como parte da exposição do fotógrafo brasileiro sobre a Amazônia, em cartaz no centro cultural agora.

Salgado, que mora na França, já tinha a intenção de trazer algumas dessas lideranças para a abertura da mostra, em janeiro —mas os números da Covid-19 aumentaram no país na época por causa da ômicron. Em função da pandemia, a exposição acabou não sendo aberta primeiro no Brasil e passou antes por Londres, Paris e Roma.

Entre terça e quinta, três debates serão mediados por Leão Serva, jornalista e diretor de jornalismo da TV Cultura, com nomes como Davi Kopenawa, autor de “A Queda do Céu”, e Francisco Piyako, liderança do povo ashaninka que já foi assessor da presidência da Funai. Os encontros são gratuitos e também serão transmitidos no canal do YouTube do Sesc Pompeia.

Serva explica que as lideranças convidadas estão relacionadas às etnias que o fotógrafo retratou em suas expedições —foram mais de 60 viagens num período de sete anos. “Há o ensejo de dar um depoimento da situação atual das agressões ao meio ambiente e à Amazônia”, conta ele.
O jornalista, aliás, gravou depoimentos de alguns dos indígenas retratados por Salgado sobre a situação de cada um dos territórios. Os vídeos, que estão na mostra, foram filmados entre 2019 e o começo de 2020, mas muitas das questões trazidas por eles mudaram nos últimos tempos.

“Os yanomamis foram muito afetados pela pandemia, inclusive porque o governo federal desmobilizou toda a estrutura da Sesai [Secretaria Especial de Saúde Indígena]”, afirma o jornalista.

As fotografias que estão na exposição do Sesc Pompeia, organizada por Lélia Wanick Salgado, já foram publicadas numa série de reportagens sobre as expedições de Salgado neste jornal, que acompanhou o contato do fotógrafo com as aldeias.

Além do ciclo de debate e de um segundo evento com exibições de filmes de cineastas indígenas ou sobre questões de povos originários, a semana terá ainda um concerto na Sala São Paulo, retomando composições de Villa-Lobos e Philip Glass para a floresta amazônica, na sexta-feira (22), às 20h. Os ingressos ficam disponíveis para compra a partir desta segunda (18) no site da instituição.

Todos os eventos comemoram os 30 anos da homologação da terra indígena yanomami, tema da mesa de abertura das três conversas.

Além da intensa programação paulistana, Salgado assina uma segunda exposição, em Paris, chamada “Aqua Mater”, com série de imagens que abordam os recursos hídricos.

Veja abaixo a programação completa de debates, que também serão transmitidos ao vivo em youtube.com/sescpompeia.

Comemoração dos 30 anos da demarcação da terra yanomami

O fotógrafo debate as três décadas de reconhecimento do território e sobre a atual situação dos indígenas lá, que ainda sofrem com invasão de garimpo e desmatamento, com Davi Kopenawa, escritor e liderança política, Dário Kopenawa, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami e também uma liderança na comunidade, e Marcos Wesley, antropólogo que coordena o programa Rio Negro do Instituto Sócio Ambiental, o ISA.

Terça (19), às 20h, no teatro do Sesc Pompeia. Retirada de ingressos com 1h de antecedência

A situação das terras indígenas no Acre

Biraci Brasil, cacique do povo yawanawa, Francisco Piyãko, liderança dos ashaninka que já foi assessor da presidência da Funai, e Wewito Piyãko, também liderança, falam sobre como estão os conflitos nas terras indígenas no estado hoje.

Quarta (20), às 20h, na área de convivência da unidade

A situação de populações indígenas isoladas e de recente contato
Sebastião Salgado conversa sobre como estão essas populações com Beto Marubo, indígena que compõe a direção da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari e integra o Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato, Sydney Possuelo, indigenista e especializado no assunto, e Tiago Moreira, antropólogo do ISA.

Quinta (21), às 18h, na área de convivência da unidade

Continue Reading

Tendência