Connect with us

Notícias

Aleac sedia 3ª Reunião do Parlamento Amazônico e debate altos preços de passagens aéreas

Published

on

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) por meio do seu presidente, deputado Luiz Gonzaga (PSDB) e demais integrantes da Mesa Diretora, promoveu na manhã desta quarta-feira (31) a 3° Reunião Ampliada do Colegiado de Deputadas e Deputados do Parlamento Amazônico. O encontro contou com a participação de 47 deputados que debateram sobre o desenvolvimento e dificuldades de acesso a estados da região Norte. 

O encontro funciona da seguinte forma: cada estado aponta o que deve ser discutido para aquela região e um relatório é montado para ser entregue ao presidente Lula com as reivindicações. Além da particularidade de cada estado, um assunto unânime entre os parlamentares da região Norte é a questão da logística, com alto preço de passagens áreas e a dificuldade de acesso até as capitais de estados nortistas.

Na 3° Reunião do Parlamento Amazônico as palestras ministradas tiveram como tema: aviação comercial, viabilidade do Projeto Multimodal Manta, potencial da agência para alavancar os produtos da Amazônia no mercado internacional e o elo de integração trinacional.

A Associação do Parlamento Amazônico é uma entidade não governamental, sem fins lucrativos com mais de 20 anos de existência, na luta em defesa dos povos, e dos Estados que integram a Amazônia brasileira, que são eles: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, realiza nesta Assembleia Legislativa do Estado do Acre, a Terceira Reunião Ordinária do ano de 2023.

A solenidade foi iniciada com a apresentação dos hinos Brasileiro e Acreano. Em seguida, o coral da Aleac, regido pelo maestro Lidson Martins, apresentou um medley regional composto por músicas amazônicas que retratam as características específicas dos estados do Norte.

O presidente da Aleac, deputado Luiz Gonzaga deu as boas-vindas aos parlamentares representantes dos estados amazônicos, em seguida falou sobre o sentimento de gratidão pela presença de cada um. Ele também pontuou que da reunião sairão estratégias para contribuir com a resolução de problemas ainda enfrentadas no Norte do país.

“Nosso sentimento é de gratidão por essa oportunidade tão importante de sediar a 3° Reunião do Parlamento Amazônico. Damos as boas-vindas a todos os parlamentares que vieram ao legislativo acreano participar do encontro. Agradeço ao primeiro-secretário, Nicolau Júnior, pelo excelente trabalho feito junto a equipe da Casa para esse momento acontecer”, enalteceu.

Gonzaga disse ainda que a realização da Reunião no Acre é uma conquista muito importante para os deputados acreanos. “Nós, do Poder Legislativo Acreano, nos sentimos imensamente honrados pela presença de vocês, valorosos parlamentares empenhados em construir o desenvolvimento dos estados amazônicos. Essa luta é o que nos une. Desta forma, podemos traçar estratégias que contribuam com a resolução de problemas. Daqui sairemos com novas propostas e ações”.

Na abertura da reunião o governador Gladson Cameli (Progressista) destacou a importância do encontro. Agradeceu ainda a presença dos parlamentares e afirmou que vai entrar em contato com os governadores dos estados representados para solicitar uma reunião com o presidente da República.

“Agradeço a presença de todos, fiz questão de nominar em meu discurso cada parlamentar que se deslocou de seu respectivo estado para participar desse encontro, pois isso representa muito para nós. Vou repetir o que disse em minha posse: se não tivermos a consciência de estarmos unidos e fazermos uma frente junto ao Governo Federal para reivindicarmos pelos nossos estados, não avançaremos. Me coloco à disposição e entrarei em contato com os governadores do Norte para pedir uma reunião com o presidente da república”, disse.

Em sua fala, a presidente do Parlamento Amazônico, deputada estadual amapaense Edna Auzier (PSD), agradeceu a boa receptividade dos parlamentares acreanos. Ela destacou ainda a presença do governador do Acre no evento, Gladson Cameli, afirmando que sua participação no encontro demonstra seu compromisso com os estados vizinhos.

“Primeiramente, quero agradecer a receptividade carinhosa que recebemos nesta casa, muito obrigada de verdade. Fiquei emocionada com a apresentação do coral da Aleac, o maestro Lindson fez com que eu me sentisse na minha cidade, no Amapá. Que homenagem linda. Quero ainda agradecer a presença do governador Gladson Cameli no evento, é muito importante sua presença aqui. Sua participação sem dúvida fortalece o debate”, disse.

Edna Auzier frisou que no Acre pontualmente será tratado a pauta da aviação, um assunto delicado porque envolve o povo que reside em áreas mais isoladas do Estado.

“Precisamos dar celeridade a este tema, a população precisa de mobilidade tanto terrestre quanto área e os acreanos sofrem com essa carência. Precisamos levar isso à Brasília, é para isso que nos reunimos, para juntos encontrarmos soluções para os problemas existentes em cada estado da Amazônia. Já realizamos 13 reuniões do parlamento, iniciamos em Rondônia, Acre e finalizaremos em Tocantins. Após isso faremos uma carta geral sobre tudo que foi discutido, mas, com as reivindicações específicas de cada estado em anexo. Já adianto que temos muitos assuntos incomuns como a regularização fundiária, mineração, recuperação das nossas BR’s e das nossas tão sonhadas licenças, nós precisamos desenvolver nossa Amazônica”, complementou.

Para o secretário de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), Assurbanipal Mesquita, o encontro também é uma forma de fortalecimento dos negócios entre os estados da Amazônia.

“A oportunidade que vamos ter aqui é falar um pouco da inserção geoeconômica do estado do Acre. Estamos trabalhando na promoção desse corredor interoceânico e aí vamos mostrar que o fortalecimento do ambiente de negócio no estado do Acre nos últimos quatro anos; o crescimento do agronegócio, da indústria da madeira e animal e essa relação internacional com o Peru. Neste sentido, vamos aproveitar a oportunidade e vamos apresentar esse projeto. A ideia é que outros estados fortaleçam esse corredor”, enfatizou.

Durante as palestras, os parlamentares presentes fizeram questionamentos e sugestões aos palestrantes. Um dos assuntos mais reivindicados foi sobre as condições e horários dos voos e questão de logísticas do Estado.

Participaram do dispositivo de honra o presidente da Aleac, Luiz Gonzaga; o governador Gladson Cameli; a presidente do Parlamento Amazônico, Edna Auzier; o primeiro secretário da Aleac, Nicolau Júnior; o presidente da Assembleia de Rondônia, Marcelo Cruz; segundo vice-presidente da Assembleia do Amapá, Fabrício Furlan e o vice-presidente da Unale, Adjunto Afonso.

Palestras ministradas durante o encontro:

Tiago Sousa Pereira, Presidente da ANAC, fez uma palestra virtual sobre A Aviação Comercial de Passageiros na Amazônia.

Arthur de Freitas Lisboa, coordenador geral de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais da SUFRAMA, falou sobre a Viabilidade do Projeto Multimodal Manta (Equador) Manaus (Brasil).

Marcelo Ramos, chefe do gabinete de Relações Institucionais da Petrobrás fez uma exposição sobre A Exploração do Petróleo no Amapá.

Assurbanipal Mesquita, secretário de Estado de Indústria, Comércio, Ciências e Tecnologia do Acre, abordou sobre o Estado, como Elo de Integração Trinacional.

Texto: Andressa Oliveira e Mircléia Magalhães
Fotos: Sérgio Vale

Assessoria

Complexo Industrial do Café de Mâncio Lima segue com obras avançadas

A obra foi iniciada dia 27 de janeiro deste ano e tem previsão de conclusão para setembro de 2024

Published

on

O Complexo Industrial do Café de Mâncio Lima, equipamento que está sendo construído no Ramal do Café no município mais ocidental do Brasil, está com as obras avançadas, sua execução já ultrapassa 60%. A obra foi iniciada dia 27 de janeiro deste ano e tem previsão de conclusão para setembro de 2024. A iniciativa é uma realização da Cooperativa dos Cafeicultores do Vale do Juruá (Coopercafé), em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

No último sábado (20), a Coopercafé e a ABDI realizaram um dia de campo que teve como objetivo apresentar os novos equipamentos e máquinas que serão utilizados no Complexo Industrial do Café e apresentar técnicas de cultivo, a atividade reuniu produtores de café de Mâncio Lima e regiões próximas do Vale do Juruá.

O Complexo Industrial do Café, cuja construção foi dividida em três etapas, já recebeu mais de R$ 6 milhões em investimentos. A primeira etapa focou na construção de um galpão de 1.000m². A segunda etapa, contempla a instalação de equipamentos para a usina de beneficiamento do café, com investimento de R$ 3,5 milhões, cujos recursos foram aportados pela ABDI. A última fase contemplará a construção de uma Usina Solar Fotovoltaica, com investimento de R$ 740 mil, que será feito pela Coopercafé.

Jonas Lima – Presidente da Coopercafé

O presidente da Coopercafé, Jonas Lima, expressou sua emoção durante o evento: “Meu Deus, vocês não sabem nem o que está passando dentro do meu coração hoje. Depois do dia 27 de janeiro, quando lançamos a pedra fundamental dessa obra e hoje está já no ponto em que ela está. Hoje nós estamos aqui para apresentar para a população, para o pessoal da cultura do café, equipamentos. Tem uma colhedora, três secadores, uma máquina para descascar de alta tecnologia e temos mais os equipamentos que estão chegando até daqui a uns 35 dias, que vão completar este complexo de secar de café”, disse.

O analista da ABDI, Eduardo Tosta, que representou a diretora Perpétua Almeida no evento, destacou o progresso rápido da construção. “Há nove meses, fizemos uma primeira reunião de apresentação do projeto. Hoje, já estamos aqui com a primeira etapa com 63% concluída. Foi um investimento de mais de R$ 6 milhões da ABDI, já preparando a estrutura física para receber os equipamentos”, explicou.

Edvaldo Magalhães – Deputado estadual / PCdoB

Para Edvaldo Magalhães, deputado Estadual que compõe a Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo na Aleac (Frencoop), um ponto que se destaca é a eficiência do projeto. “Hoje nós estamos presenciando o projeto que foi concebido e estruturado de forma rápida, tomada uma decisão também rápida e na confiança da organização dos trabalhadores que foi a Coopercafé. É uma demonstração de que quando você tem uma organização séria, estruturada, que leva a sério a sua missão, você encontra parceiros”, pontuou.

Valdemiro Rocha – Presidente do Sistema OCB Acre

De seu lado, o presidente do Sistema OCB/Sescoop no Acre, Valdemiro Rocha, refletiu sobre o impacto da Coopercafé, apontando que “os cooperados têm se esforçado para fazer duas coisas: produzir café com a máxima qualidade usando o melhor que tem em termos de tecnologia de cultivo da lavoura do café e primar pela boa governança”. Rocha traz também a importância do apoio e iniciativa da ex-deputada Federal Perpétua Almeida e diretora da ABDI para este projeto. “Faço questão de destacar o papel da diretora Perpétua Almeida, que tem se esforçado ao máximo para aportar investimentos aqui na planta agroindustrial da Coopercafé, para que toda a produção do café aqui da região possa ser beneficiada”, afirmou.

Perpétua também foi destacada por Jonas Lima, como um dos pilares para que esta iniciativa esteja tendo êxito. “Esse projeto só aconteceu porque teve uma decisão da ex-deputada Perpétua Almeida. Uma decisão dela, trazer esse projeto para o Acre e trazer para esse ponto aqui do Vale do Juruá que está instalado em Mâncio Lima”, declara. O presidente da Coopercafé fez questão de falar sobre a parceria com o Sistema OCB/Sescoop. “Quero agradecer também à nossa cooperativa e à OCB Sescoop. O primeiro passo foi a OCB nos dar o apoio desde o primeiro dia, desde o primeiro curso para essa cooperativa. E hoje você está vendo aqui, esta organização está num ponto tão bonito, tão lindo, que as pessoas estão vindo aqui conhecer”, disse Jonas Lima.

Complexo Industrial do Café de Mâncio Lima

O projeto, que iniciou em janeiro de 2024, já está com 63% das obras concluídas e espera-se que o complexo esteja totalmente operacional até setembro de 2024, visando transformar a produção local de café e fortalecer a economia rural familiar da região do Juruá.

Coopercafé

A Coopercafé foi fundada em 2021, atualmente a cooperativa tem 110 cooperados e já tem 1 milhão e 800 mil pés de café plantados, em 549 hectare de terra.

A previsão de colheita do café em 2025 é de 43 mil sacas de café de 60 quilos, que serão beneficiados nesta indústria.

Isso deve movimentar mais de 30 milhões de reais na economia local no próximo ano.

Texto: Arison Jardim e Andréia Oliveira Fotos: Arison Jardim.

Continue Reading

Notícias

Presidente do Sistema OCB do Acre participa do lançamento do Programa Coopera Mais Brasil

o seminário nacional intitulado “Coopera Mais Brasil”, será realizado de 22 a 25 de abril, com a participação de 450 lideranças de cooperativas e associações de todo o Brasil

Published

on

O presidente do Sistema OCB Acre, Valdemiro Rocha, participou nesta segunda-feira, 22, em Luziânia, Goiás, do lançamento do Programa Coopera Mais Brasil, do Governo Federal. O programa é uma iniciativa coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), que consiste na construção de ministérios, autarquias e organizações da sociedade civil que se relacionam com a temática.

Durante o lançamento, o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, destacou a importância das cooperativas na produção de alimentos, que impactam o desenvolvimento do país. “Acho muito importante essa iniciativa, estamos juntos nessa construção de consolidação da economia solidária, das cooperativas, sobre a perspectivas de organizar esse processo com os trabalhadores. Quem mais representa a produção de alimentos são as cooperativas, elas têm um elevado grau de organização que queremos fortalecer”, disse.

O lançamento ocorreu durante o seminário nacional intitulado “Coopera Mais Brasil”, que será realizado de 22 a 25 de abril, com a participação de 450 lideranças de cooperativas e associações de todo o Brasil ligadas às principais redes e articulações cooperativistas. Entre elas, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Sobre o programa

O Programa Coopera Mais Brasil tem como objetivo principal desenvolver ações integradas para auxiliar os agricultores familiares em uma melhor capacitação, além de articular a nível governamental estratégias que facilitem o acesso a financiamento para as cooperativas, associações e agricultores familiares, desenvolvendo boas práticas que visam a sustentabilidade ambiental, social, econômica e financeira.

Uma das metas do projeto pé que seja ampliada as redes de venda e distribuição de alimentos em todo o país, além de abordar questões como: aumento na produção de alimentos, elevação de ganhos e melhoria na qualidade de vida dos agricultores e agricultoras familiares.

“Esse é um momento histórico, um passo a mais para o cooperativismo e na organização da agricultura familiar. Podemos dizer que o Coopera Mais Brasil é um programa construído em conjunto com os agricultores, temos a certeza de que o programa vai ser reconhecido como um processo para orientar, dialogar e dirigir as ações voltadas a agricultura familiar, para o cooperativismo e a economia solidária”, destacou o Secretario de Abastecimento, Cooperativismo e Soberania Alimentar (SEAB), Milton Fornazieri.

De seu lado, o presidente do Sistema OCB do Acre, Valdemiro Rocha, enfatizou a satisfação de viver esse momento em que o cooperativismo está sendo prioridade como política pública no governo Lula. “Vemos o empenho e o esforço do governo do presidente Lula para fazer o setor produtivo alavancar e o cooperativismo está tendo lugar de destaque neste processo, temos muita gratidão”, disse.

Programação

Após a mesa de abertura para o lançamento do programa, ocorreu o primeiro painel do seminário, com a temática os “Desafios e Perspectivas do Cooperativismo e do Associativismo na Produção e Abastecimento de Alimentos no Brasil”.

Na terça-feira, 23, acontece a palestra “Experiências de Políticas Estaduais de Estímulo ao Cooperativismo e Associativismo da Agricultura Familiar”; a apresentação do Programa Coopera Mais Brasil e ações do MDA; o painel com Ações Interministeriais do Programa e o debate dele.

Na quarta-feira, 24, acontece o encontro das Cooperativas e Associações por organização em Rede. E no último dia de programação, quinta-feira, 25, acontece a plenária final com todas as centrais.

Participantes

Na ocasião, também participaram do lançamento do Programa Coopera Mais o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto; o Ministro do Desenvolvimento Agrário e da Agricultura Familiar (MDA), Paulo Teixeira, e o Chefe do Escritório da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Sibá Machado.

Cooperativismo e agricultura familiar no Acre

O Acre possui mais de 40 mil cooperados e 54 cooperativas ativas e regulares filiadas ao Sistema OCB, dessas, mais de 40 fazem parte do Ramo Agropecuário , um modelo de negócio coletivo que reúne produtores rurais, tem a importante missão de promover prosperidade não somente no campo, mas nas comunidades em que estão inseridos. Nesse contexto, o cooperativismo agropecuário tem a capacidade de promover ganho de escala, organização produtiva e poder de comercialização a pequenos, médios e grandes agricultores.

Assessoria / Foto Divulgação

Continue Reading

Notícias

Concurso Público da Prefeitura de Rio Branco alcança números históricos

Published

on

O concurso público promovido pela Prefeitura de Rio Branco atingiu números históricos, com mais de 52 mil inscritos competindo por quase 1.300 vagas em todas as áreas. As provas foram realizadas no domingo (21) em 73 escolas da capital e na Uninorte, com os portões abertos às 7 horas da manhã.

A diretora executiva do Instituto Verbena/UFG, Claci Rosso, destacou o andamento tranquilo e seguro do concurso, com aproximadamente 3 mil colaboradores atuando como coordenadores fiscais.

O secretário municipal de Gestão Administrativa, Jonathan Santiago, ressaltou a impecável organização do processo, conduzido pela comissão designada, e destacou a importância do concurso para suprir demandas em áreas como saúde e educação. Os candidatos aprovados devem ser convocados em até 45 dias.

Assecom / Foto: Val Fernandes/Assecom

Continue Reading

Tendência