Connect with us

Assessoria

“Essa denúncia é apenas o começo”, diz Daniel Zen sobre pedido de afastamento do governador do Acre

Daniel Zen comenta sobre o pedido de afastamento de Gladson Cameli e adverte sobre potencial gravidade das acusações e suas consequências

Published

on

Assessoria PT do Acre

Daniel Zen, presidente do Partido dos Trabalhadores do Acre, se pronunciou sobre o pedido de afastamento do governador Gladson Cameli, feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A denúncia apresentada pela PGR alega que, desde 2019, Cameli lidera um esquema de fraude em licitações, envolvendo pelo menos oito contratos, resultando em um prejuízo estimado de R$ 150 milhões.

Zen enfatizou que a denúncia atual é apenas a primeira de nove possíveis, uma vez que as investigações da Operação Ptolomeu foram desmembradas em nove inquéritos policiais, todos resultando no indiciamento do governador. “…é sobre aquele caso da empresa Murano, contratada na modalidade de “carona” para fazer simples manutenções prediais e acabou executando obras bem maiores, com sobrepreço, superfaturamento e subcontratação de outras empresas de modo ilegal, tudo para facilitar o desvio de recursos. Eu fiquei rouco de tanto falar sobre isso na tribuna da ALEAC, em 2019 e quase ninguém dava atenção”, declarou.

A PGR destaca que o esquema teve início com um contrato de manutenção predial no valor de R$ 24,3 milhões, assinado em 2019. A empresa contratada, alegadamente sem experiência na localidade, subcontratou de maneira velada a empresa do irmão do governador, resultando em vantagens financeiras para ela. Pelo menos R$ 4,4 milhões teriam sido repassados a empresas controladas pelo irmão do governador, segundo a PGR.

Zen alerta que as penas podem ultrapassar 400 anos de prisão. O pedido de afastamento de Gladson Cameli agora aguarda decisão da ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Confira o pronunciamento completo:

Sempre fui contra a espetacularização do inquérito policial e do processo judicial. Acho que todo cidadão, seja pessoa comum ou pública, investigado, indiciado ou réu, deve ter assegurado o seu direito ao devido processo legal, com contraditório e ampla defesa. Não podemos compactuar com o linchamento moral e com a execração pública a que o “tribunal do povo e da imprensa” acabam submetendo as pessoas.

Porém, em se tratando da Operação Ptolomeu, nos chama a atenção a gravidade dos fatos e a robustez das provas apresentadas até aqui. Essa denúncia – a 1ª de um total de 9 possíveis, já que as investigações foram desmembradas em 9 Inquéritos Policiais diferentes e o governador foi indiciado em todos eles – é sobre aquele caso da empresa Murano, contratada na modalidade de adesão a ata de registro de preços – conhecida como “carona” – para fazer simples manutenções prediais e acabou executando obras bem maiores, com sobrepreço, superfaturamento e subcontratação de outras empresas de modo ilegal, tudo para facilitar o desvio de recursos. Eu fiquei rouco de tanto falar sobre isso na tribuna da ALEAC, em 2019 e quase ninguém dava atenção.

Todas as vezes em que eu falava sobre isso era no sentido de alertar o próprio Governador de que havia corrupção no governo dele e que ele devia tomar providências. Eu mal imaginava que ele poderia estar diretamente envolvido nisso.

Só nesse primeiro inquérito, que agora será convertido em ação penal (ou seja, em processo judicial propriamente dito), o Governador está sendo denunciado – e, em razão disso, deixa de ser apenas investigado/indiciado para se tornar réu – em virtude do cometimento, em tese, de cinco tipos distintos de crimes, alguns deles supostamente praticados dezenas de vezes: 1) dispensa indevida de licitação (art. 89 da Lei 8.666/1993); 2) peculato (nesse caso, praticado por 31 vezes); 3) corrupção passiva; 4) lavagem de dinheiro (46 vezes); e 5) organização criminosa. As penas, quando somadas, se aplicadas, chegarão a dar mais de 40 anos de prisão.

Agora, imaginem vocês quando todos os demais inquéritos policiais forem concluídos e todas as outras 8 denúncias forem oferecidas? As penas somarão mais de 400 anos de prisão.

De minha parte, não desejo o pior ao Governador e espero, sinceramente, que tudo seja esclarecido. Devemos sempre confiar na Justiça, independente de qual seja o desfecho desse caso.

Daniel Zen
Presidente do PT do Acre

Assessoria

9ª edição da Ecoflores acontece de 05 a 09 de junho, no Horto Florestal, em Rio Branco

Published

on

A nona edição da Ecoflores, Feira de Economia Solidária e Popular será realizada de 05 a 09 de junho de 2024, no Horto Florestal, em Rio Branco. Os detalhes do evento foram apresentados pela comissão organizadora em reunião com os parceiros nesta quarta-feira, 22, na sede do Sistema OCB. O tema da feira deste ano é: “Promovendo a sustentabilidade social de todos, através da economia solidária, popular e agricultura familiar”.

A feira vai reunir 150 expositores do Brasil, Peru e da Bolívia. São empreendimentos de diversos segmentos sociais, de associações e cooperativas da economia solidária dos ramos da agricultura familiar, artesanato, jardinagem, alimentação, economia criativa, artistas plásticos, bazar, movelaria, cerâmica e brinquedos.

O público esperado é de 20 mil visitantes durante os cinco dias de feira.

O presidente da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários – Unisol Acre, Carlos Omar, destacou os objetivos da Ecoflores. “A feira visa fortalecer, divulgar e valorizar os empreendimentos  produtivos por meio de políticas públicas de desenvolvimento sustentável em economia solidária e popular, agricultura familiar, artesanato e artes nos países da tríplice fronteira, valorizando as culturas regionais e fazendo a integração comercial de cadeias produtivas de base associativista e cooperativista”, disse.

Parceiros

A VIII Ecoflores é uma realização da Unisol Acre, em parceria com o Sistema OCB/Sescoop Acre, Reaja, Gabinete do deputado estadual Pedro Longo, Governo Federal (MDA, Incra, Conab, MTE/Senaes e Ifac), Governo do Estado (SETE, Emater e SEAGRI) e Prefeitura de Rio Branco (SEMEIA; FGB; SEAGRO; SDTI; SEE); Senar, Rede Baixo Acre, Comitê Chico Mendes, Cártitas Diocesana, CUT, Fetacre, EPS Peru, EPS Bolívia.

SERVIÇO

O que? IX edição da Ecolfores – Feira de Economia Solidária e Popular.
Quando? De 05 a 09 de junho de 2024.
Onde? Horto Florestal de Rio Branco.
Mais informações podem ser obtidas com o organizador da feira, presidente da Unisol Acre, Carlos Omar (68) 99924-3491.

Texto: Andréia Oliveira Fotos: Alice Hainã – Foto arquivo / Amanda Oliveira

Continue Reading

Assessoria

Bocalom supervisiona Asfalta Rio Branco

Published

on

O prefeito de Rio Branco realizou uma visita às obras do Programa Asfalta Rio Branco no bairro Laélia Alcântara nesta quarta-feira, 22 de maio de 2024. Esse programa tem como objetivo principal o recapeamento e a reparação de vias, além de melhorias nas redes de drenagem e esgoto, e a construção de meios-fios e calçadas nas dez regionais da capital. Laélia Alcântara, um dos 18 bairros da regional Calafate, está recebendo 100% dessas melhorias.

Durante a visita, o prefeito destacou que as empresas contratadas estão transformando vias que há anos estavam intrafegáveis, contribuindo para a qualidade de vida dos moradores. O presidente da Associação de Moradores, Wilson Moreira, ressaltou a resolução de problemas antigos, como uma cratera de mais de 60 metros que impedia o tráfego de veículos. Com a desobstrução do esgoto pelo Saerb, as condições melhoraram significativamente.

O vereador Antônio Morais, que acompanha as obras, afirmou que esta iniciativa trouxe grandes benefícios para a comunidade, destacando a importância histórica do bairro Laélia Alcântara. Ele declarou: “Tenho três mandatos como vereador e acompanho há mais de dez anos a situação, essa era uma rua de ônibus, mas graças a Deus, o prefeito fez um serviço de primeira e só quem ganha é a comunidade do Laélia Alcântara e adjacentes, esse é um dos bairros mais antigos de Rio Branco”.

Durante a visita ao bairro, o prefeito Bocalom aproveitou para verificar o andamento da reforma da Unidade de Saúde da Família (USF) Mariano Gonzaga. Ele elogiou o empenho da equipe da Prefeitura e da Secretaria de Saúde em melhorar as condições da unidade, que precisava urgentemente de renovação. Bocalom comentou: “O time da Prefeitura de Rio Branco, em especial a Secretaria de Saúde, está totalmente empenhado em fazer o melhor para a nossa população. Esta é uma Unidade de Saúde que há muito tempo merecia essa reforma, e agora estamos realizando.”

Continue Reading

Assessoria

Prefeitura de Cruzeiro do Sul e Governo do Estado conduzem estudos para transformação da Avenida 28 de Setembro em mão única

Published

on

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, em parceria com o Governo do Estado, está avançando nos estudos técnicos que poderão transformar a Avenida 28 de Setembro em uma via de mão única. O levantamento, para melhorar o fluxo de trânsito e reduzir os congestionamentos nos horários de pico, é feito pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito, com o apoio técnico do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN).

Jonas Torres, secretário Municipal de Mobilidade e Trânsito, explica o processo e a necessidade da intervenção: “Iniciamos o estudo técnico nesta semana com a finalidade de analisar a viabilidade de tornar a 28 de Setembro uma via de sentido único. A demanda partiu de inúmeras solicitações da comunidade, que enfrenta diariamente problemas de tráfego, especialmente em horários de maior movimento por causa da entrada e saída da escola”, aponta.

O escopo do estudo inclui não apenas a Avenida 28 de Setembro, mas também as vias transversais, como a Rua Benjamin Constant, a Avenida 17 de Novembro, a Rua Floriano Peixoto e a Rua Rego Barros. “Estamos realizando um levantamento detalhado do entorno para entender completamente o impacto da mudança. A equipe está equipada com drones e realiza pesquisas de campo para coletar dados essenciais”, acrescenta Torres.

“Como DETRAN, nossa função é apoiar com dados técnicos e análises precisas que ajudarão o gestor municipal a tomar a decisão final sobre a questão”, explicou o engenheiro de trânsito do DETRAN, Judeilson Oliveira.

A previsão é que o estudo técnico seja concluído em 30 dias. Em seguida, um laudo será emitido indicando a viabilidade da transformação da avenida em mão única. A decisão final dependerá dessa análise e das consultas junto à comunidade para assegurar que a mudança atenda às necessidades de todos os envolvidos.

Com essa medida, a Prefeitura e o Governo do Estado esperam não apenas melhorar o fluxo de trânsito, mas também aumentar a segurança e a qualidade de vida dos moradores de Cruzeiro do Sul.

Após o estudo, será realizada uma audiência pública para ouvir a opinião da população sobre as possíveis mudanças.

Continue Reading

Tendência