Connect with us

Cultura

Sergio vale e imagens que revelam a alma do Acre

Um mergulho visual pelas narrativas fotográficas que contam a história e as emoções profundas de um povo através das lentes sensíveis do Sérgio Vale

Published

on

Sérgio Vale, renomado fotógrafo acreano, participa do concurso da prefeitura de Rio Branco com uma imagem impactante capturada e compartilhada em seu perfil no Instagram. A foto, cuidadosamente selecionada para a competição, retrata uma cena que provoca reflexões sobre a realidade social da cidade.

Com quase quatro décadas de experiência na área da fotografia, Sérgio Vale é reconhecido por seu trabalho inicial no fotojornalismo, onde destacou a luta pelos direitos humanos na capital do Acre. Seu compromisso em documentar questões sociais importantes lhe rendeu uma menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog, em parceria com o jornal A Gazeta do Acre.

Ao longo de sua trajetória profissional, Vale acumulou conhecimento em diversas áreas, incluindo assessoria, fotojornalismo e marketing político. Seu olhar atento para os detalhes do cotidiano reflete-se em sua filosofia sobre a fotografia como uma forma de eternizar momentos significativos, sejam eles de alegria, dor ou poesia.

“há quase quatro décadas, busco eternizar momentos que revelam a essência da vida”
Sérgio Vale

Natural de Rio Branco, Sérgio Vale tem suas raízes profundamente enraizadas no Acre, filho de Terezinha Vale da Cunha e Fernando Augusto Ferreira da Cunha. Seu compromisso em retratar a realidade e promover reflexões através de suas fotografias é refletido não apenas nessa imagem em particular, mas em todo o seu corpo de trabalho.

Nesta competição promovida pela prefeitura de Rio Branco, Sérgio Vale apresenta uma imagem que provoca reflexões profundas. A fotografia captura a coexistência entre as luzes brilhantes da cidade e o cenário de famílias reunidas, ao mesmo tempo em que transmite a sensação de solidão advinda de um sonho infantil ou de um anseio por um futuro incerto e distante. O foco na desigualdade social e na necessidade premente de combatê-la é a mensagem central transmitida por essa imagem.

Para acompanhar mais do trabalho de Sérgio Vale e a participação no concurso da prefeitura de Rio Branco, os interessados podem seguir seu perfil no Instagram, @sergiovaleac. Curta a foto:

Na Praça da Revolução, a bela decoração e movimentada contrasta com a serenidade da figura solitária de uma criança. Enquanto a atmosfera colorida e animada atrai olhares, a quietude do pequeno observador adiciona uma camada de profundidade e reflexão à cena.

Cultura

Fóruns sobre aplicação dos recursos da Política Aldir Blanc ocorrem em maio no Acre

Mais de R$ 16 milhões da Política Nacional Aldir Blanc no Acre

Published

on

O governo do Acre, através da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), está organizando fóruns para discutir o Plano Anual de Aplicação dos Recursos (PAAR) da Política Nacional Aldir Blanc (PNAB). Esses fóruns visam definir a execução de mais de R$ 16 milhões no estado. Um dos encontros está marcado para terça-feira, 21 de maio, das 18h às 22h, na Filmoteca da Biblioteca Pública em Rio Branco.

Continue Reading

Cultura

Prefeitura de Cruzeiro do Sul entrega novo ônibus ao Conservatório Musical do Juruá

Published

on

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul realizou a entrega de um novo ônibus ao Conservatório Musical do Juruá em uma cerimônia no estacionamento do Teatro dos Náuas. O veículo, que conta com banheiro, elevador para pessoas com deficiência e capacidade para 42 passageiros, foi adquirido com recursos provenientes de emendas parlamentares e uma contrapartida da prefeitura local.

A aquisição totalizou R$ 1,1 milhão, sendo R$ 600 mil oriundos de uma emenda destinada anteriormente pelo senador Alan Rick e complementada por recursos da vice-governadora Mailza Assis, na época senadora. A prefeitura também contribuiu com recursos adicionais para completar o valor necessário.

O diretor-presidente do Educandário, Rinauro Lima, destacou a importância do ônibus para a expansão dos serviços do Conservatório, que busca afastar crianças e jovens da ociosidade, além de incentivar a formação cidadã e a realização de sonhos, permitindo que as apresentações do grupo se estendam por outros municípios e até fora do estado. “Esse ônibus vai nos ajudar a expandir os serviços do Conservatório que faz esse trabalho de tirar crianças e jovens da ociosidade e incentiva a formação cidadã e a realização de sonhos. Poderemos fazer nossas apresentações na cidade, nos municípios e até fora do estado com mais tranquilidade”, disse Lima, que representou o promotor Iverson Bueno, coordenador do Conservatório Musical.

Continue Reading

Cultura

Teatro no Acre?

Uma realidade com o Grupo do Palhaço Tenorino em ‘Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós’

Published

on

“Teatro no Acre?” Alguns podem questionar se tal coisa existe, como se fosse uma miragem em meio à grande floresta amazônica. Mas para quem já teve o privilégio de testemunhar a magia do Grupo do Palhaço Tenorino (GPT), essa dúvida se desfaz rapidamente, dando lugar a uma certeza inegável: não só o teatro existe por essas bandas, como floresce em espetáculos como ‘Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós’. Há mais de três décadas, desde a sua fundação salvo engano em 1991, o GPT se tornou referência no cenário teatral do estado, desafiando preconceitos e mostrando que a arte tem espaço em qualquer lugar.

Assistir a última apresentação, do “Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós” no Teatro de Arena do Sesc foi muito mais do que uma simples peça teatral; foi uma experiência que transcendeu o tempo e espaço.

Sob a direção e dramaturgia magistrais de Marilia Bomfim, o Grupo do Palhaço Tenorino (GPT) transportou o público para uma viajem emocionante através das gerações. A direção musical e de atores de Dinho Gonçalves adicionou uma camada extra de profundidade à performance.

A trilha sonora composta por cantigas de roda foi um elemento fundamental que cativou não apenas as crianças, mas também os da melhor idade, levando o público em uma viagem através de suas memórias afetivas. Cada acorde, cada verso, quantas lembranças, inocência e alegria. Dinho Gonçalves, José Neto e Marilia Bomfim criaram uma trilha sonora envolvente que arrebatou literalmente os corações dos espectadores.

O elenco, composto por  Emilly Matos, James Guerreiro, Jayme Guerreiro, Linda Zanatta, Mariana Bonfim, Mel Zanatta, Rafaela Zanatta e Samile Guerreiro, entregou performances emocionantes e convincentes. Ao sair do teatro, fui preenchido por uma sensação de felicidade e satisfação, grato por ter presenciado um trabalho tão inspirador e impactante.

Enquanto as crianças dançavam e cantavam, alguns descobriam “velhas” novas possibilidades, enquanto os mais velhos sorriam e choravam, relembrando momentos de suas próprias infâncias. Mas não posso revelar muito; você precisa assistir para entender completamente essa experiência. Mas vai ter que esperar, a montagem do espetáculo é independente, e agora busca captar recursos para uma nova temporada.

É importante ressaltar o compromisso e a coesão do grupo como um todo. O trabalho em equipe é essencial no teatro, e o Grupo do Palhaço Tenorino demonstrou uma harmonia e sincronia em cena e na produção. É evidente que cada membro do grupo contribuiu para o sucesso do espetáculo, mostrando que, juntos, são capazes de criar magia no palco.

O Grupo do Palhaço Tenorino continua a ser uma verdadeira joia do teatro acreano, levando alegria e inspiração a todos aqueles que têm o prazer de assistir às suas apresentações.

Em tempos de incerteza e adversidade, o teatro continua a ser uma fonte de inspiração e esperança. O Grupo do Palhaço Tenorino e sua produção independente de “Boca de Forno”, é um lembrete poderoso do poder transformador da arte e da importância de preservar e celebrar as nossas tradições culturais. Que eles continuem a espalhar alegria e magia por muitos anos ainda, encantando plateias e deixando um legado na história do teatro acreano. 

Que nossos gestores, responsáveis pelas políticas culturais, se desafiem a buscar as melhores condições e, quem sabe, validar o verdadeiro poder transformador da arte.

Alexandre Nunes Nobre

Continue Reading

Tendência