Connect with us

Cultura

Projeto de João Gabriel Brito promove ritmos brasileiros e afrolatinos

Orquestra de Percussão busca valorizar percussionistas locais e difundir conhecimentos musicais

Published

on

João Gabriel Brito, percussionista com mais de 23 anos de carreira, apresenta a Orquestra de Percussão. O projeto surge da falta de oportunidades na formação musical de percussão no estado e busca promover a troca de conhecimentos entre percussionistas locais, músicos e a comunidade.

Show com a Orquestra de Percussão: Dia 17 de novembro, às 20h na Escola de Música do Acre. Evento gratuito com música instrumental, performances percussivas e a participação de João Gabriel Brito, percussionistas convidados e uma banda base. Ficha Técnica do Show: Idealização – João Gabriel Brito. Percussionistas convidados: Alexandre Tifum, Anderson Carioca, Maestro Lygeiro, Mestre Zaqueu e Percussa William. Músicos Convidados (Banda Base): Abimael Rufino e Marcone Ricardo (Sopros), Denilson Carneiro e James Fernandes (Cordas), Nilton Castro (Teclado). Produção: AcreAtiva Produções Culturais por Carol Di Deus e Narjara Saab.

Show Didático/Musical promove a troca de experiências e celebra a diversidade dos ritmos brasileiros e afrolatinos. Foto: Cedida/Divulgação

Ao reunir os talentos da música acreana em um Show Didático/Musical, a iniciativa proporciona um palco para as performances percussivas, mas também cria um ambiente para a troca de experiências entre os músicos, promovendo o intercâmbio de conhecimentos.

Palestra sobre Percussão: Dia 22 de novembro, das 18h30 às 20h30 na Escola de Música do Acre. Liderada por João Gabriel Brito, focada na percussão aplicada em ritmos brasileiros e afrolatinos. Evento gratuito com certificação online.

O projeto centraliza-se na conexão e crescimento dos percussionistas, difundindo a arte da percussão para um público diversificado. Além de entreter, busca educar e inspirar, enaltecendo saberes locais e promovendo a diversidade musical, evidenciando a riqueza dos ritmos brasileiros e afrolatinos.

O financiamento deste projeto é proveniente do Fundo Municipal de Cultura de Rio Branco, através do Edital de Artes. Para João Gabriel, o idealizador, o suporte público a iniciativas culturais permite oferecer projetos à comunidade que não visam apenas a aspectos comerciais. Essa forma de apoio viabiliza a partilha de conhecimentos e a realização de eventos culturais enriquecedores para toda a sociedade.

Programe-se!

Cultura

Teatro no Acre?

Uma realidade com o Grupo do Palhaço Tenorino em ‘Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós’

Published

on

“Teatro no Acre?” Alguns podem questionar se tal coisa existe, como se fosse uma miragem em meio à grande floresta amazônica. Mas para quem já teve o privilégio de testemunhar a magia do Grupo do Palhaço Tenorino (GPT), essa dúvida se desfaz rapidamente, dando lugar a uma certeza inegável: não só o teatro existe por essas bandas, como floresce em espetáculos como ‘Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós’. Há mais de três décadas, desde a sua fundação salvo engano em 1991, o GPT se tornou referência no cenário teatral do estado, desafiando preconceitos e mostrando que a arte tem espaço em qualquer lugar.

Assistir a última apresentação, do “Boca de Forno – No tempo dos avós de nossos avós” no Teatro de Arena do Sesc foi muito mais do que uma simples peça teatral; foi uma experiência que transcendeu o tempo e espaço.

Sob a direção e dramaturgia magistrais de Marilia Bomfim, o Grupo do Palhaço Tenorino (GPT) transportou o público para uma viajem emocionante através das gerações. A direção musical e de atores de Dinho Gonçalves adicionou uma camada extra de profundidade à performance.

A trilha sonora composta por cantigas de roda foi um elemento fundamental que cativou não apenas as crianças, mas também os da melhor idade, levando o público em uma viagem através de suas memórias afetivas. Cada acorde, cada verso, quantas lembranças, inocência e alegria. Dinho Gonçalves, José Neto e Marilia Bomfim criaram uma trilha sonora envolvente que arrebatou literalmente os corações dos espectadores.

O elenco, composto por  Emilly Matos, James Guerreiro, Jayme Guerreiro, Linda Zanatta, Mariana Bonfim, Mel Zanatta, Rafaela Zanatta e Samile Guerreiro, entregou performances emocionantes e convincentes. Ao sair do teatro, fui preenchido por uma sensação de felicidade e satisfação, grato por ter presenciado um trabalho tão inspirador e impactante.

Enquanto as crianças dançavam e cantavam, alguns descobriam “velhas” novas possibilidades, enquanto os mais velhos sorriam e choravam, relembrando momentos de suas próprias infâncias. Mas não posso revelar muito; você precisa assistir para entender completamente essa experiência. Mas vai ter que esperar, a montagem do espetáculo é independente, e agora busca captar recursos para uma nova temporada.

É importante ressaltar o compromisso e a coesão do grupo como um todo. O trabalho em equipe é essencial no teatro, e o Grupo do Palhaço Tenorino demonstrou uma harmonia e sincronia em cena e na produção. É evidente que cada membro do grupo contribuiu para o sucesso do espetáculo, mostrando que, juntos, são capazes de criar magia no palco.

O Grupo do Palhaço Tenorino continua a ser uma verdadeira joia do teatro acreano, levando alegria e inspiração a todos aqueles que têm o prazer de assistir às suas apresentações.

Em tempos de incerteza e adversidade, o teatro continua a ser uma fonte de inspiração e esperança. O Grupo do Palhaço Tenorino e sua produção independente de “Boca de Forno”, é um lembrete poderoso do poder transformador da arte e da importância de preservar e celebrar as nossas tradições culturais. Que eles continuem a espalhar alegria e magia por muitos anos ainda, encantando plateias e deixando um legado na história do teatro acreano. 

Que nossos gestores, responsáveis pelas políticas culturais, se desafiem a buscar as melhores condições e, quem sabe, validar o verdadeiro poder transformador da arte.

Alexandre Nunes Nobre

Continue Reading

Cultura

Celebrando o amor e a música brasileira com Lupicínio Rodrigues e Pixinguinha

Homenagem a Lupicínio Rodrigues e Pixinguinha no Projeto ‘Um Samba pra Falar de Amor

Published

on

O projeto “Um Samba pra Falar de Amor”, idealizado pela cantora e atriz Carol Di Deus, com a participação especial de Narjara Saab, Sandra Buh, James Fernandes, Nilton Castro, João Gabriel Brito, Tony do Bandolim e Grupo Som da Madeira, homenageará os mestres Lupicínio Rodrigues e Pixinguinha.

O evento, que acontecerá no Theatro Hélio Melo no sábado, dia 18 de maio de 2024, às 19h00, reunirá clássicos como “Carinhoso”, “Nervos de Aço”, “Felicidade”, “Lamentos”, “Volta”, entre outros, marcando época e aquecendo os corações do público.

A produção e realização são de responsabilidade de Carol Di Deus e AcreAtiva Produções, com apoio da Fundação de Cultura Elias Mansour e Escola de Música do Acre, e financiamento da Prefeitura de Rio Branco através do Fundo Municipal de Rio Branco (FMC).

Onde: Theatro Hélio Melo
Quando: Sábado, 18 de Maio de 2024
Horário: às 19h00.

Produção e Realização: Carol Di Deus e AcreAtiva Produções
Apoio: Fundação de Cultura Elias Mansour e Escola de Música do Acre
Financiamento: Prefeitura de Rio Branco por meio do Fundo Municipal de Rio Branco (FMC)

Foto: Narjara Saab

Continue Reading

Cultura

Feira das Moças no Casarão une samba e empreendedorismo feminino

Evento gratuito acontece a partir das 19h, promovendo talento feminino e negócios

Published

on

Envolvendo samba e empreendedorismo feminino, o Projeto Feira das Moças será realizado, neste sábado, 11, no Casarão, das 19h às 23h.

Idealizado pela artista e empreendedora Narjara Saab, o projeto é uma iniciativa da Acreativa Produções em parceria com a CMEC, financiado pelo Edital de Arte e Patrimônio Cultural da Lei Paulo Gustavo, através da Fundação Elias Mansour (FEM).

Continue Reading

Tendência