Connect with us

MEIO AMBIENTE

Sebastião Salgado vem ao Brasil para debates com indígenas

Published

on

Fotos: Cedida

(Folhapress)

O Sesc Pompeia inaugura na próxima terça (19) um ciclo de debates com Sebastião Salgado, lideranças indígenas e especialistas em questões dos povos indígenas como parte da exposição do fotógrafo brasileiro sobre a Amazônia, em cartaz no centro cultural agora.

Salgado, que mora na França, já tinha a intenção de trazer algumas dessas lideranças para a abertura da mostra, em janeiro —mas os números da Covid-19 aumentaram no país na época por causa da ômicron. Em função da pandemia, a exposição acabou não sendo aberta primeiro no Brasil e passou antes por Londres, Paris e Roma.

Entre terça e quinta, três debates serão mediados por Leão Serva, jornalista e diretor de jornalismo da TV Cultura, com nomes como Davi Kopenawa, autor de “A Queda do Céu”, e Francisco Piyako, liderança do povo ashaninka que já foi assessor da presidência da Funai. Os encontros são gratuitos e também serão transmitidos no canal do YouTube do Sesc Pompeia.

Serva explica que as lideranças convidadas estão relacionadas às etnias que o fotógrafo retratou em suas expedições —foram mais de 60 viagens num período de sete anos. “Há o ensejo de dar um depoimento da situação atual das agressões ao meio ambiente e à Amazônia”, conta ele.
O jornalista, aliás, gravou depoimentos de alguns dos indígenas retratados por Salgado sobre a situação de cada um dos territórios. Os vídeos, que estão na mostra, foram filmados entre 2019 e o começo de 2020, mas muitas das questões trazidas por eles mudaram nos últimos tempos.

“Os yanomamis foram muito afetados pela pandemia, inclusive porque o governo federal desmobilizou toda a estrutura da Sesai [Secretaria Especial de Saúde Indígena]”, afirma o jornalista.

As fotografias que estão na exposição do Sesc Pompeia, organizada por Lélia Wanick Salgado, já foram publicadas numa série de reportagens sobre as expedições de Salgado neste jornal, que acompanhou o contato do fotógrafo com as aldeias.

Além do ciclo de debate e de um segundo evento com exibições de filmes de cineastas indígenas ou sobre questões de povos originários, a semana terá ainda um concerto na Sala São Paulo, retomando composições de Villa-Lobos e Philip Glass para a floresta amazônica, na sexta-feira (22), às 20h. Os ingressos ficam disponíveis para compra a partir desta segunda (18) no site da instituição.

Todos os eventos comemoram os 30 anos da homologação da terra indígena yanomami, tema da mesa de abertura das três conversas.

Além da intensa programação paulistana, Salgado assina uma segunda exposição, em Paris, chamada “Aqua Mater”, com série de imagens que abordam os recursos hídricos.

Veja abaixo a programação completa de debates, que também serão transmitidos ao vivo em youtube.com/sescpompeia.

Comemoração dos 30 anos da demarcação da terra yanomami

O fotógrafo debate as três décadas de reconhecimento do território e sobre a atual situação dos indígenas lá, que ainda sofrem com invasão de garimpo e desmatamento, com Davi Kopenawa, escritor e liderança política, Dário Kopenawa, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami e também uma liderança na comunidade, e Marcos Wesley, antropólogo que coordena o programa Rio Negro do Instituto Sócio Ambiental, o ISA.

Terça (19), às 20h, no teatro do Sesc Pompeia. Retirada de ingressos com 1h de antecedência

A situação das terras indígenas no Acre

Biraci Brasil, cacique do povo yawanawa, Francisco Piyãko, liderança dos ashaninka que já foi assessor da presidência da Funai, e Wewito Piyãko, também liderança, falam sobre como estão os conflitos nas terras indígenas no estado hoje.

Quarta (20), às 20h, na área de convivência da unidade

A situação de populações indígenas isoladas e de recente contato
Sebastião Salgado conversa sobre como estão essas populações com Beto Marubo, indígena que compõe a direção da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari e integra o Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato, Sydney Possuelo, indigenista e especializado no assunto, e Tiago Moreira, antropólogo do ISA.

Quinta (21), às 18h, na área de convivência da unidade

MEIO AMBIENTE

Defesa Civil de Rio Branco faz abastecimento de Água em Comunidades Rurais

Plano de Contingência de Escassez Hídrica é antecipado para atender 19 mil pessoas devido à seca severa

Published

on

A Defesa Civil de Rio Branco iniciou nesta terça-feira (18) o abastecimento de água potável em comunidades rurais como parte do Plano de Contingência de Escassez Hídrica. A medida, prevista para os próximos dias, foi antecipada após comunidades ficarem sem água potável por pelo menos 18 dias.

O diretor de administração de Desastres da Defesa Civil, tenente-coronel Cláudio Falcão, informou que o planejamento começou no início de junho. No entanto, com 23 dias sem chuvas na capital, diversas áreas ficaram desabastecidas, necessitando a antecipação do plano.

“A meta é distribuir 30 milhões de litros de água ou mais. Inicialmente, 19 mil pessoas serão beneficiadas, mas este número pode aumentar”, afirmou Falcão.

Caminhões-pipa da Defesa Civil abastecem comunidades rurais em Rio Branco Foto: Evandro Derze/Assecom

Detalhes do Plano de Contingência

  • Abastecimento Antecipado: A antecipação foi necessária porque algumas comunidades estavam sem água potável há pelo menos 18 dias.
  • Meta de Distribuição: O plano visa distribuir 30 milhões de litros de água ou mais, beneficiando inicialmente cerca de 19 mil pessoas. Este número pode aumentar conforme a necessidade.
  • Monitoramento do Rio Acre: O rio Acre, que registrou um nível de 1,90m, é uma preocupação constante, já que a previsão de chuvas continua desfavorável.

Impactos e Preocupações

  • Risco de Desabastecimento: Cerca de 115 dos mais de 200 bairros de Rio Branco estão ameaçados pela escassez hídrica.
  • Prejuízos na Zona Rural: A estiagem pode causar perdas significativas, com uma estimativa de 40% de queda na produção agrícola e leiteira na zona rural.

Nesta terça-feira (18), o rio Acre mediu 1,90 metros, conforme dados da Defesa Civil, sem previsão de chuvas para os próximos dias. Entre os mais de 200 bairros de Rio Branco, cerca de 115 correm risco de escassez hídrica devido à seca severa prevista para 2024.

Nível do rio Acre atinge 1,90 metros, agravando a situação de seca na capital. Foto: Val Fernandes

A situação em Rio Branco apresenta os desafios enfrentados devido às mudanças climáticas e à gestão de recursos hídricos. A antecipação do plano de contingência busca garantir o acesso à água potável, diminuindo os impactos econômicos na região.

Cláudio Falcão alerta para os impactos econômicos na zona rural do município, estimando que 40% da produção agrícola e leiteira pode ser afetada pela estiagem.

Continue Reading

MEIO AMBIENTE

Prefeitura de Cruzeiro do Sul vai realizar 4º edição da semana do Meio Ambiente

Published

on

A prefeitura de Cruzeiro do Sul vai realizar através da secretaria de meio ambiente – SEMEIA, a 4º edição da semana do meio ambiente que terá início nesta terça-feira, 11 prosseguindo até sexta-feira, 14. A abertura do evento será realizada às 9 horas no Centro de Iniciação ao Esporte- CIE, no Bairro Remanso.

A agenda deste ano inclui blitz ambiental, entrega de mudas de plantas frutíferas e florestais, instalação de lixeiras de coleta seletiva e implantação de um eco barreira, e plantio de mudas.

A semana faz referência ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado anualmente em 5 de junho, e o tema escolhido: acelerar a restauração da terra, a resiliência à seca e o progresso da desertificação foi feito pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA. Segundo a instituição 40% das terras do planeta estão degradadas, afetando diretamente metade da população mundial.

Para a realização do evento todos os preparativos já estão sendo encaminhados como pontou o secretário de meio ambiente Ygoor Neves.
“Estamos a todo vapor, desde diálogos institucionais, empresariais, até produção de materiais a partir da reciclagem, para esse evento que realizamos anualmente desde o início da gestão do prefeito Zequinha Lima.”

A agenda deste ano inclui blitz ambiental, entrega de mudas de plantas frutíferas e florestais, instalação de lixeiras de coleta seletiva e implantação de um eco barreira, e plantio de mudas.

“A participação da sociedade é fundamental para que haja uma sensibilização da população às práticas que são danosas ao meio ambiente. Além do mais, o meio ambiente ecologicamente equilibrado é uma responsabilidade de todos”, reforçou o secretário.

Confira a programação:

Continue Reading

MEIO AMBIENTE

Prefeitura de Cruzeiro do Sul retira mais de 12 mil toneladas de lixo e entulho dos bairros

Zequinha Lima prioriza limpeza e saúde pública

Published

on

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, através da Secretaria de Meio Ambiente e Limpeza Urbana, está realizando a Campanha Cidade Limpa, que já recolheu mais de 12 mil toneladas de lixo e entulho dos bairros da cidade desde seu início em 8 de abril.

As equipes de limpeza urbana atuam diariamente na coleta de resíduos sólidos, entulhos, roçagem, capinação, desobstrução de córregos e bueiros, além da varrição de vias e logradouros. Nesta sexta-feira, 24 de maio, as equipes limparam o Igarapé Boulevard, a Avenida Mancio Lima, o Centro e os bairros Remanso e Várzea. Em várias dessas áreas, o serviço incluiu roçagem, rastelagem, varrição e uso de assopradores, com subsequente recolhimento do material e entulho gerado.

A limpeza de bueiros no bairro Remanso também está em andamento. Uma ação conjunta com a Secretaria de Saúde envolve visitas às residências para orientar moradores sobre a importância de retirar entulho e eliminar possíveis focos de dengue.

Segundo Adriano Valente, diretor técnico da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, essas ações buscam melhorar a saúde pública e a estética da cidade, prioridades da gestão do prefeito Zequinha Lima.

A coleta de lixo em Cruzeiro do Sul é realizada diariamente, incluindo feriados, abrangendo 38 bairros, 19 avenidas, 7 vilas e 9 conjuntos habitacionais. A Secretaria recolhe mensalmente 1.720 toneladas de lixo doméstico e 6 mil toneladas de entulho.

As atividades da limpeza pública são contínuas e incluem a coleta de resíduos sólidos, entulhos, roçagem, capinação, desobstrução de córregos e bueiros, e a varrição de vias e logradouros, garantindo a manutenção e limpeza da cidade.

Continue Reading

Tendência